Make your own free website on Tripod.com

  

     

Procure no site por palavra chave:

 

          IT26
Home Acima IT1 IT2 IT3 IT4 IT5 IT6 IT7 IT8 IT9 IT10 IT11 IT12 IT13 IT14 IT15 IT16 IT17 IT18 IT19 IT20 IT21 IT22 IT23 IT24 IT25 IT26

 

Fórum da Qualidade

Arquivos Digitais

data de aprovação e publicação da atual versão:

20/12/2008

 

Folha de Rosto

 

Controle de Alterações

 

Versão

 

Data de Aprovação

 

 

Alterações

1

17/08/2004

Primeira versão

 

 

 

 

 

 

 

 

Elaborado por

 

_______________

Fabrício aroeira

 

Analisado por

 

__________________

Eduardo Almeida

 

Aprovado por

 

___________________

Eduardo Almeida

 

 

 


 

 

1. OBJETIVO

 

Padronizar e fornecer diretrizes para a EXECUÇÃO DE FORRO DE GESSO.

2. APLICAçãO

 

É aplicável à equipe de profissionais composta por GESSEIRO, AJUDANTE, mestre de obra e engenheiro.

 

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

 

Projeto ARQUITETURA

4. DEFINIções

 

Não aplicável.

 

5. responsabilidade E autoridade

 

Vide íntegra do procedimento.

 

6. procedimentos

6.1. Materiais e equipamentos

 

bullet

Placa de gesso.

bullet

Arame.

bullet

Massa de gesso.

bullet

Fios de malva.

bullet

Metro articulado.

bullet

Pinos.

bullet

Linha de nylon.

bullet

Sistema de fixação à pólvora.

bullet

Lápis de carpinteiro.

bullet

Martelo.

bullet

Andaime.

bullet

Pistola de fixação à pólvora.

bullet

Serrote.

bullet

Espátula de aço.

bullet

Placas de gesso

bullet

Massa de gesso    

bullet

EPIs: Uniforme, Capacete, Botina, Luvas de láteX, Protetor auricular, Máscara.

 

 

6.2. Método executivo

 

6.2.1 Marcação e fixação dos pinos

• Marcar o tamanho das placas nas paredes com metro ou trena começando

pelos cantos da parede, conforme projeto.

• Fixar os “pinos” nas paredes para apoio das placas de gesso nesta fase do

processo.

• Esticar uma linha de nylon para o alinhamento da primeira fileira, amarrando-

a nos pinos da parede.

• Fixar os pinos no teto com a pistola de fixação nos locais previamente demarcados e amarrar o arame de suporte.

6.2.2 Colocação das placas de gesso

• Localizar os ganchos de fixação nas placas de gesso com um serrote.

• Montar as placas começando pelos cantos, apoiando-as nos pinos previamente fixados e amarrando-as nos arames.

• Fazer o chumbamento aplicando uma mistura de massa de gesso e fios de juta

na parte de cima das placas entre a placa e a parede.

• Retirar os pinos da parede após a secagem da massa de gesso.

• Aplicar massa de gesso entre as placas para dar o acabamento.

 

7. INDICADORES

7.1 Indicadores de Produtividade

 

Produtividade: Valor mínimo: 0,80 Hh/m2.

Valor médio: 1,60 Hh/m2.

Valor máximo: 2,40 Hh/m2.

Mão-de-Obra: Pedreiro.

Servente.

 

7.1.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Produtividade

 

• Programar movimentação de mão-de-obra e materiais na área de trabalho.

• Preparar andaimes.

• Efetuar o corte das placas em função do projeto do forro, levando em consideração

a necessidade de juntas, luminárias, rebaixos e saídas de ar-condicionado.

• Verificar a conclusão e o funcionamento das instalações que serão embutidas.

• Proteger o piso cerâmico, caso este já esteja assentado.

• Proteger previamente os componentes metálicos (janelas etc.), que poderão

ser atingidos por pasta de gesso de rejuntamento.

 

7.1.2 Considerações para cálculo do Indicador de Produtividade

 

Devem ser considerados no cálculo deste indicador:

• Trabalho de oficial e de servente.

• Transporte das placas de gesso, da massa de gesso e dos fios de malva do local

de armazenagem ao posto de trabalho.

• Transporte dos equipamentos para marcação e fixação das placas de gesso do

local de armazenagem ao posto de trabalho.

• Preparação da pasta de gesso.

• Preparação do teto da laje para receber os suportes de fixação das placas de

gesso.

• Colocação das linhas de nylon para as referências geométricas.

• Montagem de bancos ou andaimes para posicionamento dos operários.

• Limpeza do local de trabalho após o término do serviço.

• Operações normalmente executadas pelo servente.

• Toda mão-de-obra envolvida, exceto horas de mestres e supervisores.

• Medição pela projeção de área útil horizontal dos compartimentos, sem

acréscimos para sancas, acabamentos, colocação de luminárias, rodatetos

ou negativos.

• Cálculo do indicador para cada etapa de execução (apartamento, por

exemplo) ou em áreas menores do que 50 m2.

• Cálculo do indicador cumulativo pelo somatório das quantidades parciais

levantadas no item anterior.

 

7.2 Indicador de Qualidade

 

• Dentre os itens assinalados na RIP 16 sugere-se o acompanhamento do

quesito 06, relativo à adequação dos níveis do forro.

Definição: Diferença do nível do forro = Diferença de altura de forro em

relação à cota planejada.

Valor de Referência: Diferença de altura do forro = 0

 

7.2.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Qualidade

 

• Determinar o nível dos forros com antecedência para que possam ser tomadas

decisões quanto à adequação de seu nível final.

• Avaliar a inter-relação entre os níveis de forro e o espaço necessário para as

instalações que ocupam o espaço entre este e a laje.

• Dividir grandes áreas de forro de gesso em panos, procurando colocar

detalhes arquitetônicos, nestes ou nas suas paredes limítrofes, que tornem

independentes as alturas dos vários panos.

 

7.2.2 Considerações para o cálculo do Indicador de Qualidade

 

• Identificar os panos de forro segundo etapas de execução (por exemplo,

compartimentos da edificação como banheiros, cozinhas, salas, corredores

e hall de entrada).

• Para cada 4 compartimentos avaliar a altura final de forro em relação ao planejado.

Desconsiderar a diferença obtida no pior caso deste grupo de 4 forros.

• Acumular o indicador para toda obra, verificando a diferença média de

altura para cada lote de 4 panos avaliados.

 

8. Registros

 

Ficha de Verificação de Serviços

 

9. Anexos

 

8.1.  Ficha de orientação de Serviços

 

8.2.  Ficha de Verificação de Serviços

 

Data de atualização da pagina: 30-August-2005