Make your own free website on Tripod.com

  

     

Procure no site por palavra chave:

 

          IT21
Home Acima IT1 IT2 IT3 IT4 IT5 IT6 IT7 IT8 IT9 IT10 IT11 IT12 IT13 IT14 IT15 IT16 IT17 IT18 IT19 IT20 IT21 IT22 IT23 IT24 IT25 IT26

 

Fórum da Qualidade

Arquivos Digitais

data de aprovação e publicação da atual versão:

20/12/2008

 

Folha de Rosto

 

Controle de Alterações

 

Versão

 

Data de Aprovação

 

 

Alterações

1

17/08/2004

Primeira versão

 

 

 

 

 

 

 

 

Elaborado por

 

_______________

fabricio aroeira

 

Analisado por

 

__________________

Eduardo Almeida

 

Aprovado por

 

___________________

Eduardo Almeida

 

 

 


 

 

1. OBJETIVO

 

Padronizar e fornecer diretrizes para a execução de pintura externa com textura.

2. APLICAçãO

 

É aplicável à equipe de profissionais composta por pedreiro, AJUDANTE, mestre de obra e engenheiro.

 

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

 

Projeto ARQUITETURA

4. DEFINIções

 

Não aplicável.

 

5. responsabilidade E autoridade

 

Vide íntegra do procedimento.

 

6. procedimentos

6.1. Materiais e equipamentos

 

bullet

Tinta.

bullet

Selador.

bullet

Água.

bullet

Lixa.

bullet

Fita crepe.

bullet

Colher de pedreiro.

bullet

Vassoura.

bullet

Rolo de lã.

bullet

Rolo para textura.

bullet

Balancim.

bullet

EPIs: capacete, bota, luvas de raspa e óculos de segurança.

 

 

 6.2. Método executivo

6.2.1 Preparação da superfície

• Corrigir imperfeições do substrato com o mesmo tipo de argamassa utilizado

na execução do revestimento.

• Lixar e raspar a parede em toda a sua extensão retirando pó e o excesso de

resíduos.

• Proteger os contramarcos com fita-crepe para que não recebam respingos.

6.2.2 Aplicação do selador

• Aplicar a primeira demão de selador em um sentido, observando a uniformidade na espessura.

• Após secar a primeira demão, aplicar a segunda demão no sentido transversal à primeira.

• Após seco o selador, lixar a peça a ser pintada eliminando sujeiras, e retirar o pó.

6.2.3 Pintura

• Aplicar a primeira demão de tinta, conforme especificado em projeto, em toda a superfície, aguardando a secagem para a aplicação da segunda demão.

 

7. INDICADORES

7.1 Indicadores de Produtividade

 

Produtividade: Valor mínimo: 0,30 Hh/m2.

Valor médio: 0,50 Hh/m2.

Valor máximo: 0,80 Hh/m2.

Mão-de-Obra: pintor.

.

 

7.1.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Produtividade

 

• Seguir as orientações do fabricante da tinta quanto aos intervalos para secagem de cada demão.

• Providenciar a quantidade de andaimes necessária de acordo com o plano de execução dos panos de fachada, tendo em vista o cronograma da obra.

• Armazenar no andaime uma quantidade de latas compatível com a capacidade de carga do andaime e que não prejudique a movimentação do operário.

 

7.1.2 Considerações para cálculo do Indicador de Produtividade

 

Devem ser considerados no cálculo deste indicador:

• Trabalho de oficial e de servente.

• Limpeza da superfície antes do início do serviço.

• Transporte do selador e da massa corrida PVA do local de armazenagem ao posto de trabalho.

• Transporte dos equipamentos de pintura do local de armazenagem ao posto de trabalho.

• Montagem de jaú e dos equipamentos de proteção.

• Preparação do local de trabalho, proteção dos vãos de janelas e outras aberturas da aplicação do material.

• Preparação para o início do trabalho com divisão da fachada em panos e descida do prumo na fachada.

• Tempo de secagem entre as demãos de tinta.

• Limpeza do local de trabalho após o término do serviço.

• Operações normalmente executadas pelo servente.

• Toda mão-de-obra envolvida, exceto horas de mestres e supervisores.

• Medição da unidade de execução em m2 de parede externa a pintar, sem desconto de vãos, aberturas e acréscimo por faixas.

• Criação de indicador por etapa de obra (por exemplo, a fachada ou o pano de fachada), não excedendo a 200 m2 de parede pintada.

• Criação de indicador cumulativo para a obra pelo somatório dos valores obtidos no item anterior.

 

7.2 Indicador de Qualidade

 

• Dentre os itens assinalados na RIP 22, sugere-se o acompanhamento do quesito 05, relativo à proteção de superfícies contra o respingo de pinturas.

Definição: Respingo de pinturas em elementos externos de fachada = Número de zonas de respingos nos elementos externos da fachada

Valor de Referência: Respingos da pintura em elementos externos de fachada = 0

 

7.2.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Qualidade

 

• Proteger janelas, peitoris, caixas de ar-condicionado, respiradores de banheiros,

peitoris de sacadas e demais elementos da fachada contra a possibilidade

de respingos.

• Dimensionar o jaú ou andaime de fachada de maneira a permitir que o

pintor trabalhe em contato próximo e direto com cada superfície a ser pintada,

sem precisar esticar-se ou usar extensores.

• Limpar imediatamente eventuais respingos, equipando o jaú com ferramentas

e equipamentos para tal.

 

7.2.2 Considerações para o cálculo do Indicador de Qualidade

 

• Identificar elementos de fachada como janelas, peitoris, caixas de ar-condicionado

e ventilação dentro de panos de 100 m2 de revestimente externo.

• Escolher um pano de fachada a cada quatro, identificado nas condições anteriores,

e inspecionando visualmente todos os elementos de composição

da fachada, anotando manchas e respingos de tinta. A existência de respingos

indica que aquela zona de trabalho está afetada.

• Utilizar o número de zonas afetada para o cálculo do indicador de qualidade.

 

8. Registros

 

Ficha de Verificação de Serviços

 

9. Anexos

 

9.1.  Ficha de orientação de Serviços

 

9.2.  Ficha de Verificação de Serviços

 

Data de atualização da pagina: 30-August-2005