Make your own free website on Tripod.com

  

     

Procure no site por palavra chave:

 

          IT18
Home Acima IT1 IT2 IT3 IT4 IT5 IT6 IT7 IT8 IT9 IT10 IT11 IT12 IT13 IT14 IT15 IT16 IT17 IT18 IT19 IT20 IT21 IT22 IT23 IT24 IT25 IT26

 

Fórum da Qualidade

Arquivos Digitais

data de aprovação e publicação da atual versão:

20/12/2008

 

Folha de Rosto

 

Controle de Alterações

 

Versão

 

Data de Aprovação

 

 

Alterações

1

17/08/2004

Primeira versão

 

 

 

 

 

 

 

 

Elaborado por

 

_______________

fabricio aroeira

 

Analisado por

 

__________________

Eduardo Almeida

 

Aprovado por

 

___________________

Eduardo Almeida

 

 

 


 

 

1. OBJETIVO

 

Padronizar e fornecer diretrizes para a execução de embutidos em laje.

2. APLICAçãO

 

É aplicável à equipe de profissionais composta por pedreiro, AJUDANTE, mestre de obra e engenheiro.

 

3. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA

 

Projeto ARQUITETURA

4. DEFINIções

 

Não aplicável.

 

5. responsabilidade E autoridade

 

Vide íntegra do procedimento.

 

6. procedimentos

 

6.1. Materiais e equipamentos

 

o       Tubulações específicas.

o       Caixas de passagens específicas.

o       Prego.

o        Giz.

o       Serragem molhada.

o       Arame ou fita de aço.

o       ARCO DE SERRA.

o       Trena.

o       Alicate.

o       Nível de bolha.

o       Chave de fenda.

o       Mangueira de nível.

o       Marreta.

o       Talhadeira.

o       EPIs: capacete, bota, luvas de raspa e óculos de segurança.

 

 

 6.2. Método executivo

6.2.1 Tubulação em laje

• Fixar as caixas de passagem sob a fôrma com prego nos locais de acordo

com o projeto.

• Distribuir as tubulações na laje de acordo com o projeto.

• A ponta das tubulações deverá ser travada dentro das caixas de passagem

para evitar que escapem durante a concretagem.

• Todas as tubulações deverão ser presas à fôrma da laje através de arame para evitar que fiquem flutuando durante a concretagem.

• As caixas de passagem devem ser preenchidas com serragem molhada para

evitar que fiquem cheias de concreto.

• Prever aberturas na laje para as prumadas de tubulações elétricas.

• Nas descidas dos quadros elétricos, onde se concentram tubulações de prumada, deverá ser prevista uma abertura na laje.

 

7. INDICADORES

 

7.1 Indicadores de Produtividade

 

Produtividade: Valor mínimo: 3,00 Hh/pt.

Valor médio: 4,50 Hh/pt.

Valor máximo: 6,00 Hh/pt.

Mão-de-Obra: Eletricista.

Servente.

 

7.1.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Produtividade

 

• Efetuar o taliscamento de parede e piso antes de efetuar a instalação de

caixas de tomadas, interruptores e quadros.

• Utilizar conexões adequadas, não aceitando em hipótese alguma o aquecimento

da tubulação como alternativa para efetuar emendas e curvas.

• Efetuar a sondagem dos eletrodutos com arame guia antes de executar os

revestimentos finais (massa PVA e pintura, azulejos etc.), evitando eventuais

retrabalhos nestes ao detectar tubulações obstruídas no momento de

executar a fiação.

• Efetuar a fiação, instalação de espelhos para tomadas e interruptores,

disjuntores e luminárias após a instalação de portas e vidros (fechamento

da obra) com o objetivo de evitar furtos.

• Prever alternativas para fixação de antenas, pára-raios, postes de iluminação

etc., de modo a não perfurar mantas de impermeabilização.

 

6.1.2 Considerações para cálculo do Indicador de Produtividade

 

Devem ser considerados no cálculo deste indicador:

• Trabalho de oficial e de servente.

• Limpeza da superfície antes do início do serviço.

• Transporte de tubulações, fio guia, fios elétricos, caixas de passagem e argamassa

do local de armazenagem ao posto de trabalho.

• Transporte dos equipamentos para preparação na laje, na parede e para passagem

da fiação, do local de armazenagem ao posto de trabalho.

• Preparação da argamassa produzida no canteiro.

• Deslocamento dos operários entre apartamentos ou pavimentos para passagem

da fiação.

• Limpeza para passagem da fiação, com a retirada da serragem colocada nas

caixas de passagem.

• Tempo de espera entre as etapas de montagem.

• Limpeza do local de trabalho após o término do serviço.

• Operações normalmente executadas pelo servente.

• Toda mão-de-obra envolvida, exceto horas de mestres e supervisores.

• Medição da unidade de medida, levantando o número de pontos elétricos,

sendo estes tomadas, interruptores, tecla de campainha, sirene, tomada para

ar-condicionado, chuveiro elétrico e alimentação de porteiros eletrônicos.

Os interruptores simples, duplo e triplo, equivalem a um ponto, assim como

cada interruptor tipo Hotel.

• Criação de indicador para cada etapa de execução (como, por exemplo, o

apartamento), não excedendo uma área de piso de 100 m2.

• Criação de indicadores para a obra, como um tanto pela agregação dos valores

parciais obtidos no item anterior e a inclusão das horas gastas para

montagem de prumadas, centro de distribuição e quadro geral.

 

7.2 Indicador de Qualidade

 

• Dentre os itens assinalados na RIP 23, sugere-se o acompanhamento do

quesito 16, referente à desobstrução dos eletrodutos.

Definição: Obstrução do eletroduto = Número de eletrodutos obstruídos

Volor de Referência: Obstrução de eletrodutos = 0

 

7.2.1 Recomendações para melhoria do Indicador de Qualidade

 

• Adotar eletrodutos conforme especificação em projeto ou de diâmetros

maiores em locais de difícil execução pela possibilidade de estrangulamento

desses.

• Proteger eletrodutos durante as operações de montagem da fôrma e armadura

na laje.

• Tamponar eficientemente caixas embutidas no concreto ou na alvenaria

para evitar entrada de massa e respingo de argamassa.

• Manter raio mínimo de curvatura para os eletrodutos, buscando maior

liberdade para o desenvolvimento de curvas dentro de shafts ou pelo

aprofundamento dos rasgos na alvenaria.

 

7.2.2 Considerações para o cálculo do Indicador de Qualidade

 

• Sondar todos os eletrodutos em cada etapa da obra (pavimento, prumadas,

por exemplo), não excedendo 100m2 de piso.

• Assinalar os que estão interrompidos ou que necessitem da utilização da

força dos dois braços passagem do fio guia.

• Criar indicadores globais pelo somatório das obstruções detectadas em

cada etapa da obra.

 

8. Registros

 

Ficha de Verificação de Serviços

 

9. Anexos

 

9.1.  Ficha de orientação de Serviços

 

9.2.  Ficha de Verificação de Serviços

 

Data de atualização da pagina: 30-August-2005